O amor pela Língua Portuguesa desde o Japão

Projeto Construir ARTEL desenvolve o ensino do português como língua de herança do outro lado do mundo

Durante a missão em Nova Iorque, a equipe da Brazilian Foundation participou da IV Conferência sobre Ensino, Promoção e Manutenção do PLH e conheceu iniciativas ao redor do mundo que dialogam perfeitamente com o Projeto Reading Bag, ou seja, fortalecimento da Língua Portuguesa e difusão da cultura brasileira. A BF estabeleceu conexões importantes com projetos que trabalham com a disseminação do ensino do Português como Língua de Herança (PLH). Um destes projetos é desenvolvido pela Oficina de Arte Educação e Letramento (Artel), desenvolvida por brasileiros que residem em Osaka, Japão.

Luzia Tanaka, que coordena a Artel no Japão, explica que as crianças e jovens que participam do seu programa estão na faixa etária entre 7 e 17 anos, e participam uma vez por semana das oficinas do projeto com duas horas de duração. A Artel também tem um projeto com crianças de 4 a 6 anos que são encontros esporádicos e temáticos. No total são mais de 30 crianças, sendo a maioria filhos de brasileiros, alguns filhos de brasileiras com japoneses ou de outras nacionalidades. Grande parte nasceu no Japão e outros vieram do Brasil ainda bebês, e estudam em escolas japonesas.

“Os objetivos principais da Artel é levar a criança a pensar e refletir sobre suas origens; conquistar a autonomia; melhorar a autoestima; despertar o interesse pela língua e cultura brasileira; desenvolver o bilinguismo e não ter medo de ser feliz”, disse Luzia.

O maior desafio da Artel, segundo Luzia, é desenvolver um trabalho com indivíduos que não se consideram brasileiros e, por consequência, trabalhar o ensino de uma língua e cultura que para as crianças, ainda não faz sentido e nem tinham utilidade. Por isso, o primeiro passo foi trabalhar a identidade dessas crianças e jovens, além de identificar e estimular o nível de comprometimento das famílias para com a cultura brasileira. “Temos vários níveis, desde pais que leem bastante e têm livros em casa e outros que não os têm em casa, mas percebemos nesses anos que as crianças que recebem estímulos em casa têm um melhor e mais rápido aprendizado na língua portuguesa”, disse Luzia.

A construção deste processo de identidade pela Artel integra planos futuros, mas para chegar até aqui e projetar o que vem pela frente, Luzia diz que é necessário voltar um pouco no tempo e falar que foi preciso um trabalho de alguns anos para que as crianças e jovens adquirissem o sentimento de pertencimento. Ela explica que este sentimento não está relacionado ao patriotismo ou mera lembrança de datas festivas, mas algo que vai muito além, ou seja, algo que faça estes brasileirinhos entenderem que as raízes são diversas e que elas fazem parte de suas vidas, assim como tudo o que eles vivem cotidianamente, aprendendo e trocando ao longo da nossa trajetória pelo mundo. “Foi preciso muito amor, dedicação, compreensão e paciência para dar o tempo necessário para cada um. Para chegarmos até onde chegamos foi necessário, em primeiro lugar, conquistar a confiança das crianças e de seus pais, que hoje são nossos parceiros em tudo que é possível”, disse.

O trabalho da Artel tem a criança e o jovem como centro, entendendo que cada criança é única, e para que juntas, com seus sentimentos, possam ampliar seus horizontes, saindo da sala de aula e fazendo passeios de estudos, conversando com profissionais brasileiros que vão até à escola. E como ninguém é de ferro, todos os anos a Artel promove o Acampamento de Verão, que já está no sexto ano. Além disso, a Artel também promove a Festa Junina, o Festival de Outono, e muitas outras atividades.

Para Luzia, ensinar a língua e cultura brasileira vai muito além do que ensinar a ler e escrever letras. É necessário dar a elas significado, sentido e contextualização. “Ensinar o Português como Língua de Herança é abrir caminhos para a criança consiga ler o mundo que a cerca, pois a partir desse entendimento todas as portas de interesse se abrem”, disse.

Serviço:
Saiba mais sobre o trabalho da Artel e faça contato, caso queira.
E-mail: oficinaarteeducação@gmail.com
Facebook: ARTEL – Oficina de Arte Educação e Letramento
Website, em construção: www.projetoconstruirartel.org

Fotos: Marcos Sekijima

Contadora de Histórias: Nilvani Perpétua,

projeto: “Amo ler em português !!”, Itinerância Literária e Contacao de Histórias no Japão. Fevereiro de 2017.

Deixe Seu Comentário