Uma conversa sobre vermífugos

A dica de hoje vai para um ato muito importante sobre vermifugação. Muita gente não dá importância, mas é essencial para saúde dos nossos bichinhos de estimação. Vamos às dicas!

É sempre bom ressaltar que embora existam muitas marcas de vermífugos no mercado, será o veterinário quem irá indicar o melhor para o caso do seu animal. Afinal, todos esses medicamentos são tóxicos, justamente por isso são capazes de matar os parasitas, mas será de acordo com a condição de cada animal (prevenção ou tratamento para animais já infectados) que será receitado o mais eficaz.

Filhotes geralmente tem vermes, principalmente o do tipo áscaris, mas antes de prescrever o vermífugo correto para cães e gatos é necessário até mesmo um exame de fezes, para que assim o remédio seja mais certeiro. E isso vale para toda a ninhada, desde que eles não apresentem sinais de doença ou estresse. Se isto ocorrer, trate-os e depois dê o medicamento.

Assim que os cãezinhos nascem eles já necessitam de uma atenção especial, tendo a primeira dose entre os primeiros 15 e 30 dias de vida. Depois vai se repetida de 15 em 15 dias por três vezes, para garantir que todos os vermes adquiridos durante a gestação, através do leite, por ingestão dos ovos mais resistentes realmente sejam exterminados. Porém, neste caso, o vermífugo é em forma líquida por via oral e não em drágea como começa a ser depois de seis meses, a chamada manutenção.

De três em três meses o seu peludo repetirá a dose, porém em quantidades compatíveis com o seu tamanho. É importante ressaltar que o vermífugo para cães e gatos não deve ser dado aos animais caso eles estejam passando por momentos de exaustão ou com alguma patologia, principalmente em estado febril.

 

Deixe Seu Comentário